O QUE É PRÓPOLIS?

As abelhas selecionam da natureza diversos componentes resinosos e balsâmicos de brotos, botões florais, ramos, pólen e exsudados de árvores, que acrescidos de suas secreções salivares e cera formam a própolis.

Empregam-na no reparo de frestas ou danos à colmeia, no preparo de locais assépticos para a postura da abelha rainha e na mumificação de insetos invasores. A própolis tem uma grande importancia na cura de doenças, pois alguns de seus componentes tem atividade terapêutica comprovada como é o caso de alguns flavonoides que possuem ação espasmolítica (quercetina, canferol e pectolinarigenina), antiinflamatória (acacetina), antiúlcera (luteolina e apigenina) e antibacteriana (pinocembrina e galangina) além de derivados do ácido cafeico que apresentam atividade anticâncer.

Suas principais propriedades terapeuticas como antimicrobiana, antitumoral, anestésica, antissépticas, adstringente, antiinflamatória e antiviral lhe conferem destaque, sendo utilizada como princípio ativo em diversos produtos.

ALGUMAS DE SUAS UTILIZAÇÕES JÁ DESCRITAS:

• Contra doenças do sistema articular e outros tipos de inflamações, infecções, reumatismos e torções;

• Na cicatrização de ferimentos, regeneração de tecidos, tratamento de queimaduras, neurodermites, eczemas, dermatite de contato, úlceras externas, psoríase, lepra, herpes simples, zoster e genitalis, priridos e dermatófitos;

• Contra doenças do aparelho digestivo, indicando uma potente atividade hepatoprotetora e um agente anti-úlceras;

• Alguns estudos apresentam sucesso clínico no tratamento de doenças respiratórias;

• Na odontologia foi utilizada como anestésico e empregada em dentifrícios, preparações para lavagem bucal, tratamento de gengivites, quelite e na pós extração dentária;

• No tratamento de tumores, etc.

MARCUCCI, Maria Cristina et al. Propriedades biológicas e terapêuticas dos constituintes químicos da própolis. Quim Nova, v. 19, n. 5, p. 529-535, 1996